O novo agregador do marketing arrow MEDIA arrow O que o pessoal da Meios ainda não percebeu acerca do Briefing
O que o pessoal da Meios ainda não percebeu acerca do Briefing Imprimir e-mail
14-Jul-2010
briefing.jpg
… E que passamos a explicar tintim por tintim para que até os mais distraídos compreendam.


Primeiro. Que o Briefing, desde que passou a pertencer à Enzima Amarela, abandonou a periodicidade semanal para deixar a Meios sozinha nesse segmento de mercado.

Segundo.
Que, embora passando a mensal, não optou pela forma de revista para evitar entrar em concorrência com a Marketeer.

Terceiro. Que passou a publicar a sua webletter no período da tarde – deixando o período da manhã em exclusivo para os outros produtos idênticos –, o que facilita a vida a todos os editores e, adicionalmente, àqueles que pretendem comunicar: assim podem escolher a webletter que preferem.

Quarto. Que prescindiu dos negócios de “prémios”, “anuários”, “conferências”, “cadernos sectoriais” e congéneres que faziam parte da economia do Briefing nas suas fases anteriores e que constituem agora receitas integralmente à disposição da Meios e da Marketeer.

Quinto. Que nunca ninguém do Briefing assinalou publicamente os erros editoriais da Meios, evitando assim responder com a mesma moeda ao comportamento descortês, pouco ético e ressabiado de alguns dos seus colegas, para quem até meros lapsos ortográficos dão direito a actos de comunicação.

Sexto. Que o Briefing é, assumidamente, um agregador, isto é, que se define como agregando a informação que as fontes produzem e nos enviam, estando diariamente representados todos os principais operadores de Comunicação do nosso mercado, incluindo aqueles cujas dores parecem ser sentidas pela Meios.

Sétimo. Que o Briefing utiliza a prática transparente de identificar as fontes das notícias agregadas, sem nada esconder, e de procurar publicar na íntegra as informações recebidas, sem as distorcer.

Oitavo. Que a redacção do Briefing é muito pequena, gastando o seu tempo a produzir conteúdos para os suportes Web, em papel e vídeo, pelo que não tem tempo nem vontade para se perder em polémicas inúteis e que resultam, objectivamente, na retirada de valor ao nosso mercado.

Nono.
Que estranhamos ver um jornalista pedir à ERC – Entidade Reguladora da Comunicação para avaliar a qualidade de um meio, expressando um comportamento sem precedentes na História do Jornalismo das democracias, mas que estamos à-vontade no confronto da qualidade com a Meios.

Décimo.
Que a reserva suscitada quanto à qualidade do Briefing e o evidente fracasso da nossa política activa de boa-vizinhança vão forçosamente levar à revisão de alguns dos fundamentos atrás anunciados e a um reposicionamento no mercado.

A Administração da Enzima Amarela

Enzima Amarela é a editora dos agregadores Briefing (Marketing) e Advocatus (Advocacia). Por enquanto.

 

Artigos Relacionados


Edição Brief
Briefing nº 17
Considerações Legais             ©2017 briefing            Ficha Técnica